Gecíola & Uirá

Uirá e Gecíola se conhecem no dia 17 de setembro de 2007, quando ele chega em Fortaleza para trabalhar no mesmo lugar que ela. Muitos chutes nos pés embaixo da mesa, algumas cenas de ciúmes, e muitas conversas em paradas de ônibus depois, eles se encontram, no dia das crianças, para assistir um filme nada romântico. Deixados a sós pelos amigos, caipirinha vai, show de uma banda legal vem, Uirá dá o bote e consegue agarrar a mulher dos seus sonhos.

“Era uma vez um sabiá
que como todo passarinho
queria fazer um ninho
Ele conheceu a borboleta
já no Ceará
E por ela arriado ficou
e logo quis se ajuntar
A borboleta era bela
o sabiá um desajeitado
e hoje ele aprende com ela
a ser um pouco menos errado
E esse é só o começo
da história desse amor encantado”

O Pedido Casamento Civil Fotos e Vídeos
 

23 Comentários

  1. Não sei quem teve mais sorte se ele ou ela, digamos que Deus uniu direitinho o casal perfeito. Está tudo muito bem bolado bem diferente de tudo que já vi, parabéns aos dois.bjs.

  2. Sou testemunha deste amor, amor para sempre, casamento é só o detalhe pra reunir família e amigos e comemorarmos juntos esse capricho do destino.
    Passarinho do sudeste fazendo ninho no nordeste.

    É de gosto, muito gosto que estaremos abençoando esta união!

  3. testemunha deste encantamento numa passagem de ano no norte de minas AMO VOCES

  4. Estou me deliciando com os encantos e a criatividade de vocês dois. Sei que do mesmo jeito que o amor é lindo, ele também é deliciosamente brega. E vocês conseguem ser o contrário. Como podem amar sem a breguice? rs Fico feliz por vocês e me sinto mais feliz ainda em confirmar que serei uma das testemunhas desse dia. In loco. Espero estar lá para me emocionar e passar boas energias para vocês – que já são um só faz tempo. Eu e meu delicioso amor.

  5. Qual será o segredo dos casamentos duradouros?
    Casais que convivem há anos falam de paciência, renúncia, compreensão.
    Em verdade, cada um tem sua fórmula especial.
    Recentemente li as anotações de um escritor que achei muito interessante.
    Ele afirma que um bom casamento deve ser criado.
    No casamento, as pequenas coisas são as grandes coisas.
    É jamais ser muito velho para dar-se as mãos, diz ele.
    É lembrar de dizer “te amo”, pelo menos uma vez ao dia.
    É nunca ir dormir zangado.
    É ter valores e objetivos comuns.
    É estar unidos ao enfrentar o mundo.
    É formar um círculo de amor que una toda a família.
    É proferir elogios e ter capacidade para perdoar e esquecer.
    É proporcionar uma atmosfera onde cada qual possa crescer na busca recíproca do bem e do belo.
    É não só casar-se com a pessoa certa, mas ser o companheiro perfeito.
    E para ser o companheiro perfeito é preciso ter bom humor e otimismo.
    Ser natural e saber agir com tato.
    É saber escutar com atenção, sem interromper a cada instante.
    É mostrar admiração e confiança, interessando-se pelos problemas e atividades do outro.
    Perguntar o que o atormenta, o que o deixa feliz, por que está aborrecido.
    É ser discreto, sabendo o momento de deixar o companheiro a sós para que coloque em ordem seus pensamentos.
    É distribuir carinho e compreensão, combinando amor e poesia, sem esquecer galanteios e cortesia.
    É ter sabedoria para repetir os momentos do namoro.
    Aqueles momentos mágicos em que a orquestra do mundo parecia tocar somente para os dois.
    É ser o apoio diante dos demais.
    É ter cuidado no linguajar, é ser firme, leal.
    É ter atenção além do trivial e conseguir descobrir quando um tiver se esmerado na apresentação para o outro.
    Um novo corte de cabelo, uma vestimenta diferente, detalhes pequenos mas importantes.
    É saber dar atenção para a família do outro pois,
    ao se unir o casal, as duas famílias formam uma unidade.
    É cultivar o desejo constante de superação.
    É responder dignamente e de forma justa por todos os atos.
    É ser grato por tudo o que um significa na vida do outro.
    O amor real, por manter as suas raízes no equilíbrio,
    vai se firmando dia a dia, através da convivência estreita.
    O amor, nascido de uma vivência progressiva e madura,
    não tende a acabar, mas amplia-se,
    uma vez que os envolvidos passam a conhecer vícios e virtudes,
    manias e costumes de um e de outro.
    O equilíbrio do amor promove a prática da justiça e da bondade,
    da cooperação e do senso de dever, da afetividade e advertência amadurecida.
    Tudo isso é apenas 50%, os outros 50% … Bom! Vocês sabem, né?

    Continuem sendo muuuuuuito felizes com as bênçãos de Deus tá, filhotes queridos!
    Mãe Lucíola

  6. Gecíola e Uirá,

    ao casal encantado, encantador, encantando o mundo. Fiquei emocionada de ver a história de vocês e feliz de ter feito parte dos primeiros meses desse amor infinito. A vida é feita de imprevisibilidades e perspectivas. O encontro de vocês já estava escrito no orùn (céu) e vem se materializando no Aiyé (na terra). O amor que vem do espírito não morre nunca.

    Ora yeye Oxum!!! Que a mãe do ouro cubra vocês de beleza e riqueza.

    Obá omi! Odoyá yemonjá!!! Que minha mãe yemanjá abençõe e fertilize o amor de vocês com mais amor e filhos.

    Kelma d’yemonjá e minha filha linda Mari d’Oya.

  7. conheci a Gecíola como estagiária da CCS/PMF, de imediato achei uma moça super inteligente, não me enganei, e quero dizer q foi inteligente até na escolha do marido, Uirá. Vocês formam um casal perfeito e admirável, adorei a história de vocês…enfim quero desejar tudo de bom pra vocês e que Deus sempre ilumine nessa nova caminhada. Sucesso e muita harmonia. bjsss

  8. Acho Mesmo Que a CHAVE da FELICIDADE entre um Casal eh o AMOR VERDADEIRO! QUEM TEM UM AMOR DE VERDADE TEM UM TESOURO! Felicidades! Grande Beijo! :)

Enviar um Comentário